segunda-feira, 25 de março de 2013

VISITA EM TEMPO DE QUARESMA AOS RESIDENTES NO ROVISCO PAIS (Tocha) !


DIFERENÇA DE IGUALDADES

Foi no passado dia 17 de Março, que a convite da amiga Graça Oliveira, nos dirigimos até á Tocha, para visitar-mos os nossos “amigos”, no Hospital Rovisco Pais. Eu, Daniel, foi o primeiro contacto que tive com pessoas em tão delicada situação, e desconhecendo completamente a doença, e a realidade que iria encontrar. Não pensem que digo “delicada situação” com um sentimento de pena ou revolta, muito pelo contrário, depois de deparar-me com tal experiência, olho para estas pessoas com um sentimento de alegria, porque não há nada mais reconfortante do que ver pessoas com uma alma tão alegre, mesmo sabendo a cruz que carregam na sua vida. Sem dúvida que foi uma experiência marcante, com alguns aspectos que nunca serão esquecidos. Não posso deixar de ressaltar uma citação feita pela Dona Ana: “Toda a minha vida foi uma prisão, de portas abertas!”. Ouvir isto de uma pessoa tão meiga, e conseguir ver nestas palavras um sorriso, é algo que nos faz pensar em tudo o que temos, tudo aquilo que não tem valor nenhum, e que nós híper valoriza-mos. Regresso a casa impressionado. Impressionado pela força que estas pessoas nos transmitem, impressionado porque se nos olharmos ao espelho, não há diferença que desfaça a igualdade que temos com estas pessoas, e o que com elas temos a aprender, e eles têm tanto a ensinar-nos.
                Também nesta tarde de sol, o Victor, revisitou os nossos “amigos”, mais de 10 anos depois da sua primeira experiência. Voltando atrás no tempo, ele conta-nos que nas suas lembranças, estão presentes bastantes mais pessoas do que as que encontrou desta ultima vez, no entanto, pôde encontrar algumas destas pessoas, tantos anos depois. Ele salienta que com o passar de tantos anos nota uma diferença, o carinho. Ele sente que nos dias de hoje é transmitido da parte deles um maior carinho, uma maior alegria, um maior valor pela nossa visita. O Victor regressa a casa feliz, e feliz porque este é um sentimento mútuo, porque todos os nossos amigos, sem excepção, disseram que estavam felizes por nos ver. Regressa com uma vontade enorme de lá voltar, de voltar a ver estas pessoas, que são para nós lições de vida.
                Mais uma vez, temos a agradecer a todos: Sara, Joana, Rafael, Mário e Ramalho. E claro, não nos podemos esquecer da Graça Oliveira e do Carlos Santos, estas duas pessoas de tão forte personalidade, e que nos proporcionaram uma óptima tarde do domingo. A todos, o nosso muito obrigado.
Daniel e Victor


Sem comentários:

Enviar um comentário